6. Recursos Humanos e Recrutamento

6. Recursos Humanos e Recrutamento

Formação Necessária: Psicologia, Serviço Social, Administração, Gestão de Recursos Humanos.

Uma crise econômica mexe com toda a estrutura de uma empresa. É um desafio e tanto para os profissionais que atuam em Recursos Humanos. Às vezes, eles são solicitados para a pior das tarefas: demitir pessoas, redimensionar setores, excluir áreas, etc. Para isso, é preciso saber exatamente o que se está fazendo – os prejuízos decorrentes de uma ação dessa natureza podem ser incalculáveis. Por outro lado, é preciso também saber exatamente quem contratar, para garantir que a empresa estará fazendo uma boa aposta. Em tempos de economia incerta, é uma profissão muito demandada.

Recrutamento De Pessoal

Pessoas e organizações convivem em um constante e interminável processo dialético. As pessoas e as organizações estão engajadas em um contínuo e interativo processo de atrair uns aos outros. Da mesma forma como os indivíduos atraem e selecionam as organizações, informando-se e formando opiniões a respeito delas, as organizações procuram atrair indivíduos e obter informações a respeito deles para decidir sobre o interesse de admiti-los ou não.
O recrutamento é o meio onde as organizações buscam atrair seus candidatos, dentre ao quais serão selecionados os futuros participantes da empresa. O recrutamento é feito a partir das necessidades presentes e futuras de recursos humanos da organização. Consiste na pesquisa e intervenção sobre as fontes capazes de fornecer a organização um número suficiente de pessoas necessárias à consecução dos seus objetivos.
Recrutamento é um conjunto de técnicas e procedimentos que visa atrair candidatos potencialmente qualificados e capazes de ocupar cargos e oferecer competências para a organização. A função do recrutamento é a de suprir a seleção de pessoal com matéria-prima básica para seu funcionamento adequado.
O recrutamento é feito com base nos dados referentes às necessidades presentes e futuras de recursos humanos da organização e consiste nas atividades relacionadas com a pesquisa e intervenção sobre fontes capazes de fornecer à organização um número suficiente de candidatos, entre os quais, possivelmente, aqueles necessários à organização para consecução de seus objetivos.
As organizações buscam recursos em seus ambientes, entre os quais pessoas capazes de oferecer talentos e competências necessários ao sucesso organizacional.

Formas de Recrutamento: O objetivo principal do recrutamento é buscar pessoas para abastecer o processo de seleção, dessa forma existem várias maneiras e meios para a realização desse processo, que se dá de duas formas básicas: atraindo-se pessoas que já fazem parte da empresa, mas que trabalham em outros cargos; e buscando candidatos que não tenham vínculo direto com a empresa e que estão disponíveis no mercado de trabalho (LIMONGI-FRANÇA; ARELLANO, 2002).

Recrutamento Interno: se baseia na busca por pessoas, dentro da própria empresa, para ocupar uma vaga em aberto, e pode servir de meio para a valorização das pessoas que trabalham na organização.

Vantagens do recrutamento interno
O recrutamento interno, segundo Ribeiro (2005) apresenta como vantagens o fato de ser mais barato, rápido, oferecer vantagens de crescimento para os funcionários já existentes e por motivar o funcionário aproveitado, e também os demais.
Assim, essa forma de recrutamento estimula o desenvolvimento profissional e gera perspectiva de crescimento aos funcionários dentro da empresa, além de ter como positivo, o conhecimento prévio do perfil de desempenho do candidato.
Aliado a essas vantagens, Chiavenato (1999) destaca o melhor aproveitamento do potencial das pessoas da organização, incentivo a permanência dos funcionários e fidelidade destes para com a organização, pouca mudança ambiental e ausência de necessidade de socialização da organização de novos membros.

Desvantagens do recrutamento interno
O processo de recrutamento interno também possui desvantagens. Muitos autores apontam para a necessidade de cuidados ao escolher essa opção. Gil (2009), diz que esse meio pode criar dificuldades com os empregados, pois quando se entrevista uma pessoa e em seguida a recusa, isso pode prejudicar o relacionamento com ela. Junto a isso, pode ocorrer de um departamento manifestar desagrado quando vê seus funcionários sendo recrutado por outros.
O recrutamento interno também impede a colocação de gente nova dentro da organização, não permitindo a renovação dos recursos humanos. Deve-se optar por esse meio apenas quando há a possibilidade de encontrar pessoas qualificadas para a vaga em questão, pois fazer o recrutamento interno somente para valorizar o pessoal já existente pode prejudicar a organização.

Recrutamento Externo: consiste na procura de candidatos fora da organização. São várias as formas de realizar um recrutamento deste tipo. Dentre a mais conhecidas estão: cadastro de currículos, anúncio de jornal, cartazes e panfletos, agência de empregos, anúncio em emissora de rádio e serviço de alto falante, contatos com outras empresas, internet, etc. (RIBEIRO, 2005).
Independente da forma de recrutamento externo escolhido deve-se sempre avaliar as variáveis que permeiam o processo, como a demora, o preço e a segurança do serviço utilizado.
Geralmente esse meio é escolhido quando não foi possível a realização do recrutamento interno, e assim como este possui vantagens e desvantagens para a organização.

Vantagens do recrutamento externo
Essa forma de recrutamento possui vantagens que devem ser ponderadas levando em conta o contexto em que a empresa se insere no momento. Entre elas destacam-se: aquisição de novas personalidades e talentos; inovação para a equipe de trabalho; atualização de estilo e tendência do mercado (LIMONGI-FRANÇA; ARELLANO, 2002). Com essa forma de recrutamento há uma renovação dos recursos humanos da empresa, o que pode ser muito benéfico para ela.

Desvantagens do recrutamento externo
Esse meio de recrutamento traz consigo algumas desvantagens que podem afetar a organização e que devem ser levadas em consideração. Entre elas pode-se destacar o fato de ser, na maioria das vezes, um processo mais demorado e mais caro, e que apesar de logo em seguida vir o processo de seleção, os candidatos recrutados não são previamente conhecidos, como é o caso do que acontece no recrutamento interno.
Recrutamento Misto: Chiavenato (1999) ensina que o recrutamento misto é uma solução formada a partir de diversos gêneros ou opiniões com a liberdade de escolher o que julgar melhor, abordando tanto as fontes internas quanto as externas dos recursos humanos para o recrutamento. O recrutamento misto pode ser adotado por três funções: inicialmente recrutamento externo seguido de recrutamento interno e recrutamento externo e recrutamento interno, concomitantemente.

Chiavenato (1999) ainda afirma que pode ser adotada em três alternativas de sistema, sendo o recrutamento externo, seguido de recrutamento interno, caso não este último não tenha conseguido resultados desejáveis; aqui, é o caso em que a empresa está necessitando de pessoal já treinado, qualificado, então ela importa do mercado externo. Não encontrando candidatos à altura, busca em seu próprio pessoal, não considerando, de imediato, as exigências quanto às qualificações necessárias. Também pode ser feito o recrutamento interno, seguido de recrutamento externo. Neste caso, a empresa inicialmente dá oportunidade para o pessoal interno, não havendo candidatos à altura, parte em busca do recrutamento externo. E o recrutamento externo e recrutamento interno simultaneamente, ou seja, a empresa preocupa-se em primeiro lugar no preenchimento da vaga existente, seja através de importação de pessoal ou do aproveitamento de recursos humanos já existentes.

Porém, para uma boa política de pessoal, geralmente há preferência aos candidatos internos sobre os externos no caso de igualdade de condições. Com isto a empresa cria uma forma sadia de competição profissional, dando oportunidade a seu pessoal e a chance de ingresso ao emprego a vários candidatos.

Segundo Chiavenato (1994), uma empresa nunca faz um recrutamento interno sem fazer um recrutamento externo. Um sempre deve complementar o outro, pois quando um funcionário muda de posição, automaticamente um cargo ficará vago.

Recrutamento Misto: Chiavenato (1999) ensina que o recrutamento misto é uma solução formada a partir de diversos gêneros ou opiniões com a liberdade de escolher o que julgar melhor, abordando tanto as fontes internas quanto as externas dos recursos humanos para o recrutamento. O recrutamento misto pode ser adotado por três funções: inicialmente recrutamento externo seguido de recrutamento interno e recrutamento externo e recrutamento interno, concomitantemente.

 

 

SOLICITE NOSSO E BOOK PARA MAIORES INFORMAÇÕES

FORMULÁRIO DE CONTATO para MAIORES INFORMAÇÕES